Blog

Laudo de estratificação do solo: o que é e para que serve?

janeiro 7, 2023

Laudos

WGB Engenharia

O conhecimento detalhado das características do solo é extremamente importante para que diversos projetos e empreendimentos da área de engenharia possam ser colocados em prática. Por meio da estratificação, será possível compreender o comportamento do subsolo e tomar decisões mais seguras e eficientes para aquele tipo de local.

Neste artigo, será possível compreender melhor qual é o objetivo da exploração da relevância do laudo de estratificação do solo dentro do contexto da engenharia geotécnica. Além disso, ficará mais simples entender quais são os seus objetivos e como esse procedimento é realizado para obter êxito.

O que é estratificação do solo?

O processo de estratificação do solo para aterramento é um processo comumente visto na engenharia elétrica. O principal objetivo é criar um sistema de aterramento que seja inteiramente eficiente e, também, seguro. O aterramento, em si, é necessário para garantir a proteção de pessoas e equipamentos contra possíveis descargas elétricas.

Esse processo envolve a construção de uma série de materiais condutores e de isolantes na região do solo. Por meio desse passo a passo, há como melhorar a eficiência do aterramento, além de projetar as camadas para direcionar as correntes elétricas de forma totalmente eficaz.

Para que serve esse procedimento?

Dentre os principais objetivos da estratificação do solo estão:

  • Redução da resistência do solo: por meio de um bom procedimento de estratificação, é possível fazer com que a resistência do solo seja diminuída. Isso fará com que uma quantidade ainda maior de corrente elétrica acabe sendo dissipada. Esse tipo de ação se mostra importante para que o acúmulo de eletricidade estática seja evitado, o que garante um caminho adequado das correntes para terra caso haja alguma falha no sistema elétrico;
  • Melhora na distribuição da corrente elétrica: é por meio da estratificação do solo que há uma distribuição correta e uniforme da corrente elétrica que flui em direção ao solo, fazendo com que concentrações em pontos específicos sejam evitadas. Esse tipo de processo é importante em áreas onde há uma grande densidade de infraestruturas elétricas, onde dezenas de fontes de correntes podem ser conectadas a um mesmo sistema;
  • Minimização do impacto de correntes parasitas: se o procedimento for realizado da maneira correta, ele também será o responsável por auxiliar na redução do efeito de correntes parasitas, que são aquelas não desejadas e que podem surgir graças à interação de diferentes sistemas elétricos próximos um do outro.

Processo de estratificação

Para que a estratificação do solo para aterramento seja realizada, é necessário que materiais condutores sejam utilizados no processo, como são os casos das hastes de aterramento, cabos de alumínio ou cobre e, também, materiais isolantes, como os grânulos de argila, bentonita ou areia.

Todos os materiais utilizados são dispostos em camadas que se alternam no próprio solo, tomando como base o projeto específico e as características do local de construção. É válido dizer, também, que a estratificação precisa ser feita por profissionais com qualificação para tal, tendo em vista que é preciso seguir as normas e regulamentações aplicáveis.

Como verificar o solo?

A metodologia do ensaio voltado para testar a resistência do solo precisa ser executada por meio da NBR 7117-1, que mostrará os métodos necessários para uma sondagem geoelétrica eficiente. Além disso, ela também definirá as técnicas para determinação do modelo que corresponde às camadas horizontais, bem como das paralelas e das planas.

Sendo assim, a verificação do solo poderá ser feita nos seguintes ambientes:

  • Parques eólicos;
  • Complexos Hidrelétricos;
  • Plantas Industriais;
  • Parques fotovoltaicos;
  • Subestações com área maior que 20.000m²

A partir de sua aplicação, os valores que indicarão a resistividade do solo poderão ser agrupados da seguinte maneira:

  • Baixa resistividade;
  • Média resistividade;
  • Alta resistividade.

Na engenharia elétrica, a primeira camada é definida como algo superficial e seca ou com uma menor quantidade de água, possuindo matéria orgânica, com uma resistividade média. Em seguida, na segunda camada, é possível observar um solo saturado, com um nível abaixo do freático, constituído por rochas fraturas.

Por fim, na última camada, encontra-se o embasamento rochoso, com composição por camadas de sedimentos que foram compactados ou, também, de rochas cristalinas, possuindo uma resistividade entre média e elevada.

Para que servem as sondagens elétricas verticais?

As sondagens elétricas verticais são vistas como um método geofísico utilizado para a investigação de características do subsolo com a finalidade de obter informações acerca da estratificação do solo, o que inclui a sua resistividade elétrica, como foi explicado no tópico anterior.

Essas informações são indispensáveis e valiosas, pois garantem uma maior eficácia dos projetos, além de melhorar a eficiência do sistema de proteção contra as descargas elétricas. Sua principal finalidade está no fornecimento de dados sobre a resistividade elétrica do solo nas mais variadas profundidades de um mesmo terreno.

É por meio desses dados que se pode encontrar a melhor localização e configuração para os eletrodos de aterramento. Esses eletrodos precisarão ser posicionados nas camadas de solo com uma baixa resistividade elétrica, visando uma dissipação adequada e eficiente da corrente elétrica em direção ao solo, diminuindo os riscos para o ambiente.

 

De forma geral, o laudo do solo tem como principal objetivo reforçar a segurança do ambiente, além de proporcionar uma melhor qualidade para os projetos em andamento, reduzindo as chances de falha.