Blog

Qual a diferença entre SPDA e aterramento?

abril 13, 2024

Sem categoria

WGB Engenharia

É muito comum que as pessoas confundam o sistema de aterramento e o SPDA. No entanto, eles são dois sistemas muito diferentes, que apresentam resultados distintos e que, também, são aplicados em situações pouco comuns. Por isso, é fundamental entender as suas diferenças na prática.

A segurança dos projetos, dos trabalhadores e das pessoas que frequentam ou residem em um determinado local deve ser colocada em primeiro lugar. Sendo assim, neste artigo você poderá entender quais são as diferenças entre os dois métodos para fazer uma aplicação mais assertiva e sanar todas as dúvidas.

Afinal, o que é SPDA?

O SPDA é uma sigla para Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas. Ele nada mais é do que um sistema capaz de captar e direcionar os raios, utilizando um conjunto de estruturas e, também, de soluções, onde sua principal função está voltada para proteger construções contra a incidência de raios.

É muito comum observar que as correntes elétricas podem ser as principais responsáveis por causar danos severos aos humanos, especialmente por causa dos choques. Além disso, os raios também são responsáveis por incêndios, trincas e falhas em equipamentos. Por essas e outras, métodos preventivos devem ser adotados.

E o que é aterramento?

O aterramento é um processo onde instalações são colocadas junto com equipamentos em um mesmo potencial, visando causar uma diferença de potencial entre a terra e o equipamento instalado, tornando-a a menor possível. Sendo assim, as fugas de energia são eliminadas o máximo possível.

É importante que esse procedimento seja realizado por um profissional, idealizando que não haverá nenhum escape de energia por causa de fios e cabos descascados ou uma sobrecarga elétrica. Com a instalação de um fio terra de energia, essas descargas serão reduzidas, assim como os danos.

Principais diferenças entre SPDA e aterramento

Existem muitas diferenças entre SPDA e aterramento. As principais delas são:

  • Funções e objetivos: o SPDA tem como principal objetivo proteger edifícios, estruturas e equipamentos dos danos que podem ser causados por descargas atmosféricas. O aterramento, por sua vez, tem como objetivo criar uma conexão elétrica entre os sistemas e a terra, visando construir um caminho de baixa resistência para que a corrente elétrica não atinja a superfície;
  • Finalidade😮 SPDA tem como principal finalidade minimizar os danos que são causados por raios, fazendo com que haja uma redução considerável de incêndios, explosões e danos a equipamentos. Já o aterramento possui dezenas de finalidades, incluindo proteger contra choques elétricos e eliminar ruídos;
  • Correntes envolvidas: o SPDA costuma lidar com correntes elétricas de alta magnitude, enquanto o aterramento lida com correntes provenientes de falhas elétricas, como é o caso de curtos-circuitos.
  • Projeto e instalação: o projeto e a instalação para que um SPDA possa dar certo são bem específicos para cada estrutura ou edifício que necessita de produção, precisando levar em conta a altura, o formato e a localização. Enquanto isso, o aterramento possui projeto e instalação bastante variáveis, o que vai precisar levar em consideração o tipo de sistema ou de equipamento que será aterrado.

De uma maneira geral, o SPDA é um sistema que protege estruturas e pessoas contra as descargas atmosféricas, sendo projetado para reduzir os danos causados pelos raios. O aterramento, por sua vez, é uma medida que visa trazer segurança elétrica, criando um caminho de baixa resistência para a corrente fluir caso haja falha elétrica.

Quando é necessário instalar o SPDA?

Existem alguns casos em que a instalação do SPDA é recomendada, como para determinados prédios e estruturas. Os principais deles são:

  • Requisitos normativos: é muito comum que, em muitos países, haja algumas regulamentações e normas técnicas onde são estabelecidos critérios para que o SPDA seja instalado. As normas poderão mudar de acordo com a localização, a altura do edifício ou o seu tipo de estrutura;
  • Edifícios ou estruturas: alguns tipos de edifícios e estruturas precisam de uma maior proteção porque possuem uma maior capacidade de atrair raios graças à altura, localização, função e design. Então, após uma avaliação, é possível que a necessidade de SPDA seja dada como certa;
  • Áreas com maior incidência de raios: é muito comum que algumas regiões do país apresentem uma maior incidência de raios. Em casos assim, o ideal é que o projeto SPDA seja levado a sério e a estrutura avaliada por profissionais para que eles possam definir o melhor tipo de projeto para aquele ambiente;
  • Proteção de pessoas e bens: um dos principais objetivos de uma instalação de SPDA está na minimização de riscos para as pessoas e bens. Então, é ideal implementar esse tipo de projeto em locais com incidências de raios que possam atingir pessoas e estruturas relevantes.

E fazer o aterramento?

Os casos onde o aterramento elétrico é necessário são:

  • Estabilização de tensões: o aterramento será capaz de ajudar a promover uma estabilização de tensões elétricas dentro de um sistema. É por meio dele que há a criação de um caminho de baixa resistência para que a corrente flua, diminuindo a possibilidade de picos de tensão;
  • Proteção de equipamentos eletrônicos: esse processo de aterramento elétrico também pode ser útil para fazer com que computadores, sistemas de áudio e vídeo e de comunicação possam operar da forma correta. Então, com o aterramento, será possível proteger os equipamentos contra os danos causados por descargas eletrostáticas e surtos de tensão;
  • Eliminação de ruídos e interferências: o aterramento, se feito da maneira correta, poderá ajudar a diminuir os ruídos e interferências elétricas que não sejam desejadas no sistema. Com ele, a interferência eletromagnética será minimizada e melhorará a qualidade do sinal de todos os equipamentos que forem sensíveis;
  • Proteção contra choques elétricos: o aterramento se faz necessário para que as pessoas sejam protegidas contra choques elétricos. Quando os sistemas são aterrados, qualquer corrente que apresente falha será desviada para a terra.

Com todos esses pontos esclarecidos, ficará mais fácil evitar a confusão entre os conceitos de aterramento e SPDA.