Blog

O Poder da Arquitetura Comercial: Um Guia Completo

abril 12, 2024

Sem categoria

WGB Engenharia

O que é Arquitetura Comercial?

A arquitetura comercial é a arte de projetar espaços comerciais que sejam funcionais, estéticos, confortáveis e seguros. Ela envolve o estudo do público-alvo, do mercado, da marca, do produto ou serviço oferecido, da localização, do orçamento e do cronograma. A partir dessas informações, o arquiteto comercial elabora um conceito que traduza a identidade e os valores do negócio, e que se adapte às características físicas e estruturais do imóvel.

O projeto de arquitetura comercial deve considerar também os aspectos legais e técnicos que regem a construção ou reforma de espaços comerciais. Esses aspectos incluem as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), os códigos de obras municipais, estaduais e federais, as leis de zoneamento urbano, as normas de acessibilidade, segurança contra incêndio, saúde e meio ambiente, entre outras. O cumprimento dessas normas e regulamentos é essencial para garantir a qualidade, a legalidade e a viabilidade do projeto.

A arquitetura comercial é uma área que envolve o planejamento, o projeto e a execução de espaços comerciais, como lojas, escritórios, restaurantes, hotéis, entre outros. Esses espaços devem atender às necessidades e expectativas dos clientes, dos funcionários e dos proprietários, além de seguir as normas e regulamentos vigentes.

Benefícios da Arquitetura Comercial

A arquitetura comercial traz diversos benefícios para os negócios, como:

– Melhora a experiência do cliente: um espaço comercial bem projetado pode atrair, encantar e fidelizar os clientes, criando uma conexão emocional entre eles e a marca. Um espaço comercial deve oferecer conforto, praticidade, facilidade de circulação, iluminação adequada, ventilação natural ou artificial, acústica controlada, cores harmoniosas, mobiliário ergonômico e funcional, sinalização clara e eficiente, entre outros elementos que contribuam para uma experiência positiva do cliente.

– Readequação de imóveis antigos: a arquitetura comercial pode transformar imóveis antigos em espaços comerciais modernos e atrativos, valorizando o patrimônio histórico e cultural da cidade. A readequação de imóveis antigos deve respeitar as características originais da edificação, preservando ou restaurando os elementos arquitetônicos de valor histórico ou artístico. Além disso, deve adequar o imóvel às normas e regulamentos atuais, garantindo a segurança e o conforto dos usuários.

– Estimula o consumo de produtos e serviços: a arquitetura comercial pode influenciar o comportamento de compra dos clientes, através da disposição dos produtos ou serviços no espaço comercial. A disposição dos produtos ou serviços deve seguir uma lógica que facilite a visualização, a comparação e a escolha dos clientes. Além disso, deve criar pontos focais que chamem a atenção para os produtos ou serviços mais importantes ou rentáveis. A arquitetura comercial também pode criar ambientes temáticos ou sensoriais que estimulem os sentidos dos clientes e despertem o desejo de consumo.

Projeto para o bem-estar

A arquitetura comercial também pode contribuir para o bem-estar dos funcionários e dos proprietários dos espaços comerciais. Um espaço comercial bem projetado pode melhorar a produtividade, a criatividade, a motivação e a satisfação dos funcionários, reduzindo o estresse, o cansaço e o absenteísmo. Um espaço comercial bem projetado também pode aumentar a lucratividade, a competitividade e a sustentabilidade dos negócios.

Para isso, o projeto de arquitetura comercial deve considerar as necessidades específicas de cada tipo de atividade comercial. Por exemplo:

Para lojas

O projeto deve considerar o layout da loja (vitrine, entrada, circulação, exposição, provadores, caixa, estoque, etc.), a iluminação (natural ou artificial, direta ou indireta, geral ou focalizada, etc.), a ventilação (natural ou artificial, com ou sem ar-condicionado, etc.), a acústica (controle do ruído externo e interno, música ambiente, etc.), a cores (que transmitam a personalidade da marca e criem contrastes e harmonias com os produtos), o mobiliário (que seja funcional, ergonômico e estético), a sinalização (que oriente os clientes e destaque as informações relevantes), entre outros aspectos.

Para escritórios

O projeto deve considerar o layout do escritório (recepção, salas de reunião, salas de trabalho, áreas de convivência, etc.), a iluminação (natural ou artificial, que proporcione conforto visual e economia de energia), a ventilação (natural ou artificial, que proporcione conforto térmico e qualidade do ar), a acústica (controle do ruído externo e interno, que proporcione privacidade e concentração), as cores (que transmitam a identidade da empresa e criem ambientes estimulantes ou relaxantes), o mobiliário (que seja funcional, ergonômico e estético), a sinalização (que oriente os funcionários e visitantes e destaque as informações relevantes), entre outros aspectos.

Para restaurantes

O projeto deve considerar o layout do restaurante (entrada, salão, cozinha, banheiros, etc.), a iluminação (natural ou artificial, que proporcione conforto visual e crie diferentes atmosferas), a ventilação (natural ou artificial, que proporcione conforto térmico e qualidade do ar), a acústica (controle do ruído externo e interno, música ambiente, etc.), as cores (que transmitam a personalidade do restaurante e criem contrastes e harmonias com os alimentos), o mobiliário (que seja funcional, ergonômico e estético), a sinalização (que oriente os clientes e destaque as informações relevantes), entre outros aspectos.

Saiba por que a Arquitetura Comercial é um segmento em alta

A arquitetura comercial é um segmento em alta no mercado de arquitetura e design. Isso se deve a vários fatores, como:

– A crescente demanda por espaços comerciais que se diferenciem da concorrência e se adaptem às mudanças de comportamento dos consumidores.
– A necessidade de adequação dos espaços comerciais às normas e regulamentos cada vez mais rigorosos e complexos.
– A busca por soluções sustentáveis que reduzam o impacto ambiental dos espaços comerciais e gerem economia de recursos.
– A valorização da arquitetura comercial como uma ferramenta estratégica para o sucesso dos negócios.

Para atender a essa demanda, os arquitetos comerciais devem estar atualizados com as tendências e inovações do mercado. Além disso, devem ter conhecimento técnico, criatividade, senso estético e habilidade para lidar com clientes, fornecedores e equipes multidisciplinares.

A arquitetura comercial é uma área desafiadora e gratificante para os profissionais que se dedicam a ela. Ela permite criar espaços comerciais que sejam não apenas bonitos, mas também funcionais, confortáveis e seguros. Ela permite também contribuir para o desenvolvimento econômico, social e cultural das cidades.